Cadastre-se para receber atualizações do plástico bolha via e-mail:

 

 




Série Receitas

Bater Palmas




Para se bater palmas é preciso,
e nesse ponto seremos bastante
rígidos, duas mãos, que podem não
estar inteiras: os dedos, no caso,


fazem pouca ou nenhuma diferença.
Em seguida, levar de cada mão
a palma em direção à outra palma,
da outra mão, de modo a produzir


barulho. Este produto do encontro
de cada palma será batizado
de palmas (a total ausência de


originalidade não é minha.)
Quanto a gostar ou não gostar do objeto
aplaudido, confesso: pouco importa.

 

Janela



Erguer, antes de tudo, uma parede –
a parede no caso é importantíssima,
pois as janelas só existem sobre
paredes, as janelas sobre nada
são também nada e não são sequer vistas.
Em seguida quebrá-la até fazer
nela um grande buraco, não maior
que a parede, pois precisamos vê-la,
nem menor que seus braços – as janelas
sobre as quais não se pode debruçar
não são janelas, são buracos. Pronto.
Ou quase: agora basta construir
um mundo do outro lado da parede,
para que possas vê-lo, emoldurado.

 

 

 

 

 

Esse texto foi publicado no plástico bolha nº11: download PDF

 

 






 

 


 

Copyright - Jornal Plástico Bolha - 2008 - E-mail: redacao@jornalplasticobolha.com.br