Cadastre-se para receber atualizações do plástico bolha via e-mail:

 

 

 


Tributo à estrada de ferro Madeira Mamoré

Léo Vincey

 


O medo escorre no labirinto da selva
Angústia de sonhos ansiados
Tentativas pelo Mal atrapalhadas
Humildade em tudo humilhada
Veio o mundo aos teus pés socorrer-te
Cantam-te e arrependidos constroem sobre ti os curativos
Fica na História a tua glória
E em teu túmulo lamentam os sacrificados
Símbolo de união entre corações que só quiseram usupar-te
Sob o tempo resiste tua sina
De viver quando muito restaurada
Pelos outros cada vez mais esquecida
— E enquanto isso lamentam os apaixonados
De serem cúmplices do teu eterno sofrimento

 



Esse texto foi publicado no plástico bolha nº38: download PDF

 

 

 






 

 


 

Copyright - Jornal Plástico Bolha - E-mail: redacao@jornalplasticobolha.com.br